Textos

INFLUENCIAS RELIGIOSAS NA UMBANDA


A Umbanda possui basicamente quatro grandes influências culturais e religiosas: a indígena, a africana, cristã-católica e espírita (há também a influência oriental).

A influência indígena já estava presente na primeira gira de umbanda, quando da fundação da religião em 1908, com a manifestação do caboclo das sete encruzilhadas. Como sabemos, a linha dos caboclos representa a cultura indígena, logo, a incorporação do caboclo das sete encruzilhadas, tanto no dia 15 (quinze) quanto no dia 16 (dezesseis) de novembro de 1908, foram as primeiras evidenciações da influência indígena dentro da umbanda. Devemos lembrar também que, no dia 15 de novembro de 1908, quando o Caboclo das Sete Encruzilhadas incorporou na recém-fundada Federação Espírita de Niterói, RJ, o mesmo esclareceu que havia sido um caboclo brasileiro em sua última encarnação (anteriormente foi o Frei Gabriel de Malagrida, na Europa), deixando ainda mais cristalino o seu compromisso em manifestar a cultura indígena dentro da Umbanda.

Podemos ver nas giras de atendimento de Umbanda alguns elementos da cultura indígena, tais como a esteira, o maracá, o cocar, o arco e flecha, colares e guias indígenas, rezas aos deuses e semi-deuses indígenas, como Tupã (Deus Supremo) e Tupi (Deus do Fogo), dentre outros. Na Umbanda a cultura indígena, manifestada pela linha dos caboclos, são relacionados ao Orixá das Matas, que é Pai Oxóssi. Embora existam outros orixás que atuam na força das matas, das florestas, que trazem o axé vegetal, na Umbanda que pratico, o elemento vegetal é resumido em Oxóssi, com intuito de simplificar e facilitar o culto. Entretanto, há dversos orixás relacionados ao elemento vegetal, devemos ter isso em mente.

Temos ainda a influência africana dentro da Umbanda. Essa influência também já estava presente na primeira gira de Umbanda, em 1908, no dia 16 de novembro, na Casa de Zélio de Moraes. Podemos ver isso na manifestação do preto-velho Pai Antônio. Como sabemos, a linha de trabalho dos pretos-velhos representa a cultura negra mesclada a cultura cristã. Não a toa o preto-velho sauda Jesus, Maria, José, e outros santos, porque ele representa o negro africano, ex-escravo, catequizado e cristianizado. O culto aos orixás é a mais forte influência africana dentro da Umbanda. De onde vieram os orixás? Vieram da África, dos povos nagôs, que falam a língua Yorubá, de uma região onde hoje está localizada a atual Nigéria.

Devemos aproveitar a oportunidade para esclarecer que a Umbanda não é (só porque tem a influência africana) uma religião afro-brasileira, ela é apenas brasileira. A diferença está que, em uma religião afro-brasileira, busca-se resgatar e reviver a cultura que originou a religião, o que não é o caso da Umbanda, pois embora tenhamos os orixás africanos como divindades que cultuamos, esse culto umbandista não visa resgatar ou reviver a cultura africana, antes cultua os orixás africanos a partir de uma reinterpretação e ressignificação de tais divindades. Logo, a Umbanda não pode ser considerada uma religião afro, e sim totalmente brasileira, pois uma influência religiosa não macula a essência e real substrato da Umbanda. Influencia não modifica a essencia, ainda mais porque na Umbanda os próprios orixás foram resignificados e reinterpretados, ou seja, são cultuados sob a luz Umbandista, e não africana, não se esqueça disso.

Temos ainda na Umbanda a influência da cultura cristã-católica. Vemos isso no sincretismo que a Umbanda adotou entre orixás e santos católicos, que inclusive, em muitos terreiros de Umbanda, compõem os altares umbandistas. Por exemplo, temos o sincretismo de Oxalá com Jesus Cristo, de Oxum com Nossa Senhora da Conceição, de Oxóssi com São Sebastião, de Xangô com São Jerônimo, de Ogum com São Jorge, de Obaluaiê com São Lazaro, de Iemanjá com Nossa Senhora Aparecida, dos navegantes, dentre outras. A Umbanda também utiliza as rezas cristãs, tais como Pai Nosso, Ave Maria, dentro tantas outras. Logo, é inegável a influência cristã-católica dentro da Umbanda. Na primeira gira de Umbanda, em 1908, devemos nos lembrar que o nome do primeiro terreiro de Umbanda se chamou (e se chama até hoje) “Tenda Nossa Senhora da Piedade”, ocasião em que o Caboclo das Sete Encruzilhadas disse que “(...) da mesma forma que Maria ampara nos braços o filho querido, também serão amparados os que se socorrem na Umbanda”.

Há também na Umbanda a influência espírita, e também vemos isso na primeira gira de Umbanda, em 1908, especialmente no que se refere a comunicação com os espíritos por meio da mediunidade, ponto em comum entre a religião de Umbanda e o Espiritismo. Embora o nome “espírita” também esteja no nome da primeira tenda de Umbanda, esta nomenclatura foi posta devido a impossibilidade de se registrar o termo “Umbanda” no nome da tenda, logo, se deu em função de limitações legais, e não necessariamente de influências espiritas, embora estas influências existam dentro da Umbanda.

Aproveito a oportunidade para esclarecer que a Umbanda não é (embora tenha influência) uma religião espírita, pois espírita é a nomenclatura que se dá a uma religião que segue a obra de Allan Kardec e de outros espíritas, o que não é o caso da Umbanda, que tem seus próprios fundamentos e preceitos, não estando vinculada a obra de Kardec e de outros espíritas, embora possa ser lida e utilizada como mecanismo de instrução subsidiária. A Umbanda é uma religião espiritualista (e não espirita), que crê no primado do espírito, na imaterialidade do ser, na realidade espiritual, todavia, não sob a ótica espírita, havendo, inclusive, pontos contrastantes entre o Espiritismo e a Umbanda. Até porque, quando Allan Kardec recebeu a codificação do espiritismo (Século XVIII) não havia ainda Umbanda, que só foi fundada no século XX, especificamente em 1908. 

Espero ter contribuido para esclarecer quais as principais influências que existem dentro da Umbanda.

Um Saravá Fraterno a Todos

Dúvidas e Perguntas:
E-mail: jaderoliveira.j@hotmail.com

 
Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda
Enviado por Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda em 21/05/2016
Alterado em 21/05/2016

Música: Ponto de Oxalá - Quanta Força - Desconhecido

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários