Textos

LINHA DA GERAÇÃO OU AQUÁTICA: OMOLU
 
 

 
 
 
OMOLU NA UMBANDA SAGRADA: O TRONO MASCULINO DA GERAÇÃO OU AQUÁTICO
 
A Umbanda Sagrada entende que Omolu e Obaluaiê não são o mesmo orixá, antes são orixás diferentes e regem energias diferentes. Obaluayê cuida da transformação da alma, da passagem de um estágio para o outro, da evolução. Já Omolu é o Orixá da morte, da doença, dos encerramentos, aquele que corta e esgota tudo o que não nos serve mais. Ele está na linha da geração, pois tudo precisa morrer para nascer de novo (Iemanjá). 
 
Olorum tanto cria quanto paralisa a criação. Em Iemanjá temos a criação de todas as coisas, e em Omolu temos a devida paralisia daquilo que foi criado. Não é difícil concluir então que Omolu paralisa a criação e os seres quando estes estão negativados em algum sentido da vida regidos pelos demais tronos de Umbanda. Quando a Fé está desvirtuada, Omolu a paralisa. Quando o Amor está desvirtuado, Omolu o paralisa. Quando o conhecimento está desvirtuado, Omolu o paralisa. O mesmo ocorre nos demais sentidos da vida regidos pelos demais tronos divinos de Umbanda.
 
Omolu é o guardião divino dos espíritos caídos, e daí vem sua regência sobre o cemitérios e os espíritos dos mortos, pois quando estes atentam conta a Lei e a Justiça divina passam a ser tomados pela paralisia de Omolu, que visa esgotar tais seres e encaminha-los novamente para a estrada evolutiva. Omolu, como se diz, guarda para Olorum todos os espíritos que fraquejaram durante sua jornada carnal e entregaram-se à vivenciação de seus vícios emocionais. Omolu por si mesmo não pune ninguém, mas encaminha a punição aqueles que atentaram – como sobredito – contra a Justiça e a Lei de Deus, e os espíritos nestas condições o temem, e muito.
 
Omolu é cósmico, ativo, absorvedor, negativo no Trono da Geração ou Aquático, onde se polariza com Iemanjá. Esta Yabá cuida do mar, da superfície das águas na Kalunga Grande (o Mar), enquanto Omolu cuida do fundo das águas, da terra no fundo do mar, onde esgota a negatividade dos seres desvirtuados. Costuma-se evocar Omolu para quebra de magias negativas, recolhimento de espíritos desvirtuados, esgotamento de acúmulos energéticos densos, dentre outros. Enquanto Iemanjá é a vida, Omolu é a morte.


CAMPOS DE ATUAÇÃO DE OMOLU

Omolu pode atuar nos campos dos demais orixás que compõem as Sete Linhas de Umbanda, ou seja, pode atuar no campo de Oyá-Tempo, Oxalá, Oxum, Oxumaré, Oxóssi, Obá, Xangô, Egunitá, Ogum, Iansã, Obaluaiê, Nanã e Yemanja.  Lembrando que na Umbanda não denominados de qualidades os caminhos ou qualidades dos orixás, mas sim, de modo geral, chamamos de Campos de Atuação os diversos enfoques e direcionamentos pelos quais um orixá pode conduzir um filho de Umbanda.
 
 
ARQUETIPO DOS FILHOS (AS) DE OMOLU
 
No Positivo:
 
Calados
Organizados
Práticos
Diretos
Lidam bem com dinheiro
Muito Racionais
Não aceitam enrolação
Organizados
Responsáveis
Possuem uma habilidade ímpar em lidar com a magia e o misticismo.
Seus filhos têm a tendência de serem magros, com ossos proeminentes e traços marcantes.
Sentem pouco desejo sexual.
Voltados para dentro.
Procuram a solidão para reequilibrar o emocional.
Etc.
 
No Negativo:
 
Frios
Desconfiados
Tristes e melancólicos
Duros
Inflexíveis
Pessimista
Antissocial
Mesquinhos
Vingativos
Amargos
Ásperos
Autodestrutivos
Pouco carinhosos.
Etc.
 
 
Obs. A depender da localização de Omolu na coroa mediúnica do médium (de frente, adjunto/auxiliar ou ancestre) as qualidades desta orixá podem sofrer algumas variações.
 
INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE OMOLU
 
Saudação: Atotô, Omolu (Atotô significa “silêncio)
 
Cor: Preto ou Violeta
 
Elemento: Terra
 
Ponto de Força: cruzeiro do cemitério e a Kalunga Pequena, o fundo do mar e a areia da praia.
 
Sincretismo: São Roque.
 
Data Comemorativa: 16/08 (em nossa Casa)
 
Dia da Semana: Segunda-feira (em nossa Casa)
 
Instrumento: Xaxará
 
 
A NECESSIDADE DE UM (A) FILHO (A) DE OMOLU
 
Precisam trabalhar a confiança, a modéstia, a flexibilidade e a alegria de viver. Omolu ensina seus filhos a não terem apegos, mesmo que precisem sempre se sentir seguros, principalmente no lado financeiro. Precisam aprender a não magoar os outros com seu jeito áspero.
 
Dúvidas e Perguntas:
E-mail: jaderoliveira.j@hotmail.com

 
 
Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda
Enviado por Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda em 24/07/2017
Alterado em 25/07/2017

Música: O Velho Omulu vem caminhando devagar - Desconhecido

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários